Idosa lendo sobre incontinência

Incontinência Urinária: Mitos e Verdades

Idosa lendo sobre incontinência

Incontinência Urinária: Mitos e Verdades

 

 

Comumente associada a mulheres que tiveram muitos filhos ou idosas, a incontinência urinária não é exclusiva de quem tem esses perfis. Além de outras causas, como obesidade e exercícios, o problema também pode acometer os homens. No Brasil, uma em cada duas mulheres e um em cada seis homens acima dos 40 anos sofrem com essa condição.

Apesar de ser tratada como algo inerente ao envelhecimento, a perda involuntária de urina não é algo normal e deve ser tratada. Separamos alguns mitos e verdades, publicados pela EU Atlelta, Globo Esporte.

 

 

Incontinência uricnária é coisa de mulher: MITO

Esse é um problema comum entre elas, de fato. Conforme estudo, apontado como o primeiro epidemiológico a nível nacional no Brasil sobre sintomas do trato urinário inferior, 45% das mulheres acima dos 40 anos apresentam incontinência urinária. Porém, de acordo com a mesma pesquisa, da qual o urologista Cristiano Gomes é um dos autores, 15% dos homens a partir dessa idade sofrem com perda involuntária de urina. Sem contar que o problema é comum entre crianças até os cinco anos e também afeta meninos e meninas após essa idade.

 
Vou muito ao banheiro. Tenho incontinência urinária: MITO

Incontinência urinária é definida pela perda involuntária da urina. Ou seja, ela escapa sem que a pessoa perceba ou tenha controle, molhando a roupa. Há quem pense que ir muito ao banheiro durante o dia ou à noite é incontinência urinária. Essas situações também podem indicar um problema urinário a ser tratado. Porém, ir muitas vezes ao banheiro não é incontinência.

 

 
Apenas homens que removeram a próstata sofrem com  incontinência urinária: MITO

Esse é um dos fatores de risco da perda involuntária de urina. Só que uma minoria dos homens que passam por essa operação de um câncer de próstata tem essa intercorrência. Não é à toa que, nesses casos, eles apresentam a incontinência urinária de esforço, quando o escape ocorre ao realizar algum esforço físico. Acontece que esse quadro não é comum entre o sexo masculino. O tipo de incontinência urinária mais frequente entre eles é a de urgência, também conhecida como bexiga hiperativa.

 

Perder urina é normal depois de certa idade: MITO

Acreditar que esse problema é consequência do envelhecimento e aceitar a situação é uma percepção errada. Perder urina não é normal em nenhuma situação. Trata-se de um quadro comum e que tem tratamento.

 

Entre as mulheres, apenas aquelas que têm muitos filhos podem ter incontinência: MITO

É verdade que alta paridade e partos vaginais são fatores de risco. Mas essas não são as únicas causas. Há também a obesidade, as cirurgias ginecológicas, o diabetes e até a influência do tabagismo.

 

Entre as mulheres, atividades físicas de alto impacto podem aumentar o risco de incontinência urinária: VERDADE

É o caso de modalidades como crossfit e maratonas, bem como a prática profissional de esportes como ginástica olímpica e vôlei. Nessas situações, há um esforço grande sobre o assoalho pélvico e o esfíncter uretral, que não suporta o impacto. Por isso, essas mulheres devem conciliar os exercícios praticados e o fortalecimento muscular com um trabalho voltado para o assoalho pélvico.

 

Para ler a matéria na íntegra, acesse: https://globoesporte.globo.com/eu-atleta/saude/noticia/incontinencia-urinaria-mitos-e-verdades.ghtml

Retomaocontrole.com não presta serviços médicos ou de assessoria. A informação compartilhada nesta página não deve ser considerada como conselho médico. Fale com seu médico sobre a informação de diagnóstico e de tratamento. Somente seu médico poderá determinar se esta terapia é indicada para você. Os médicos que contribuem com esta página o fazem com sua própia capacidade. As opiniões expressadas são somente deles, e não representam as posturas de Retomaocontrole.com ou Medtronic necessariamente.

Ligue gratuitamente: (11) 2182-9214
Ligue Gratuitamente
(11) 2182-9214